Eu me importo

Era uma vez um fio de esperança, porém era. Ele se partiu, se arrebentou, dibulhou-se. Dado que você se foi e largou-me em cacos, alegou que eu não me importava com nada, que eu não estava nem aí.

Justo eu que fora dormir sorrindo na noite passada, depois daquela conversa que terminou com um boa noite.

Justo eu que passava horas pensando e suportando tanto, tanto ódio, briga e indiferença da sua parte.

Logo eu que quisera e tentara desesperadamente deixar-te livre com medo de que escapasse, fugisse com medo se lhe prendesse muito.

E, minha nossa, como foi difícil não lhe ligar todas as horas em que meu pensamento se chocava com você.

Talvez o meu medo em lhe assustar com meus sentimentos verdadeiros por ti, talvez o medo de lhe perder por excesso me fizera pecar por falta.

Mas saiba que estou em pedaços, em cacos, fragmentos. Que sinto, sinto tanto, demasiado, além da conta, sinto muito, sinto a sua falta.

Que além da superfície meio fria, no interior te queria, por demais te queria, por demais te ansiava..

Texto enviado por Sabrina Couto, e-mail para contato sabrinacouto2003@gmail.com.

Clique aqui para saber como enviar o seu texto.

Anúncios

3 comentários em “Eu me importo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s