Para meu eu de agora: muita calma!

Ao me olhar no espelho enxergo um milhão de perguntas: “o que eu to fazendo aqui?”, “quem eu sou?”, “o que será do meu futuro?”, “onde eu vou chegar?”, e junto delas um nó na garganta se dá em lugar das respostas. Meu eu é o meu pior inimigo, e minha mente traz à tona um turbilhão de sentimentos… a vontade de chorar, o desejo de sumir vence o desejo de lutar para vencer, a angústia de ver todos ao redor conquistando seus troféus e a minha rotina sobrevive leviana. Gritar parece o único caminho a frente. Continuar lendo “Para meu eu de agora: muita calma!”

Anúncios